Home

Dores menstruais e a vida íntima

Dores menstruais e a vida íntima

Dores menstruais e a vida íntima

A prática de algo íntimo durante a menstruação ainda é tema tabu para muitas mulheres e para os seus companheiros. Muitos continuam a acreditar, erradamente, que manter intimidade durante o período faz mal à saúde! Ora, a verdade científica diz precisamente o contrário.
Intimidade durante o período menstrual pode mesmo contribuir para aliviar as cólicas menstruais.
Este é um remédio excelente, sem efeitos secundários ou contra-indicações indesejadas, para vários males do corpo e do espírito. Manter uma actividade intimia satisfatória ajuda os indivíduos a sentirem-se melhor, por dentro e por fora, contribuindo para a diminuição do stress e da ansiedade.

O poder de libertação

Um sentimento de satisfação física deste tipo, promove uma catadupa de emoções e de reacções corporais em todo o organismo. A excitação promove reacções vasculares e neurológicas, reacções musculares e hormonais.
Durante a fase de excitação, o cérebro da mulher é dominado pela endorfina que tem um efeito analgésico, promovendo um alívio instantâneo da dor. As contracções que se verificam durante o prazer motivam a dispersão do fluxo sanguíneo e relaxam a região uterina e pélvica, pelo que as dores menstruais tendem a diminuir.

Benefícios da vida íntima

  • Liberta tensões e afasta o stress
  • A libertação de endorfinas durante o acto deixa uma sensação de bem-estar e de relaxamento no corpo e na mente que se prolonga para lá do momento de prazer. A mulher fica assim livre de tensões e de ansiedades, tendo também um efeito anti-stress.

  • Facilita o sono
  • O relaxamento promovido contribui também para afastar as insónias. Como o corpo fica mais leve, liberto de tensões e de ansiedades, o sono fica facilitado. E quando o corpo consegue descansar melhor durante a noite, fica mais preparado para enfrentar um novo dia. É o metabolismo em geral que beneficia com um sono mais perfeito.

  • Promove um melhor funcionamento hormonal
  • As mulheres que mantêm uma vida intima regular e satisfatória produzem mais quantidade de estrogénio, hormona que tem um papel relevante na saúde do coração e dos ossos e que é também essencial para a manutenção do bom humor e da boa disposição.

  • Aumenta os níveis de auto-estima
  • As mulheres que são felizes neste campo e satisfeitas sentem-se melhor consigo próprias e com o seu corpo. Nos momentos de intimidade as mulheres que se sentem desejadas pelos seus companheiros, têm mais confiança em si próprias. Essa auto-estima melhorada acarreta benefícios em termos pessoais e profissionais.

  • Melhora capacidades cognitivas
  • Contribui para um aumento das capacidades mentais. A libertação de hormonas que se verifica durante a fase de prazer acarreta benefícios em termos da percepção e da habilidade cognitiva. As pessoas que se sentem melhor e mais felizes têm mais facilidade em tomar decisões e em encarar a realidade.

  • Melhor as relações e os laços afectivos
  • A satisfação a este nível é um importante factor para o êxito de qualquer relação, promovendo a união plena entre o casal. O relacionamento fica mais fortalecido e a satisfação pessoal e afectiva das pessoas nota-se no global da sua saúde.

Dra Rita Carvalho

Artigo revisto em 01-07-2013 por Dra Rita Carvalho, Ginecologista na Clínica da Saúde Feminina.

 

Qualquer imprecisão, incorreção ou adenda a esse artigo devem ser comunicados atráves dessa página.


Patrocínios

O que achou do artigo?