Home

Dores menstruais e a toma da pílula

Dores menstruais e a toma da pílula

Dores menstruais e a toma da pílula

Os contraceptivos orais, como a pílula, generalizaram-se nos últimos anos como a forma mais eficaz de prevenir uma gravidez indesejada. Mas os seus benefícios vão para lá das vantagens em termos da liberdade sexual das mulheres. A pílula contribui, nomeadamente, para a regularização das menstruações, o que acarreta grande conforto para as mulheres, e também para a redução das cólicas menstruais, o que constitui um grande alívio.

Diversos estudos científicos levados a cabo em diferentes países do globo, e manejados por vários especialistas, comprovam a eficácia da pílula anticoncepcional combinada (isto é, a que conjuga as hormonas estrogénio e progesterona) no alívio dos sintomas das menstruações mais complicadas.

 

 

Compreender melhor as cólicas menstruais

As dores menstruais, cientificamente apelidadas de dismenorreias, manifestam-se por via de dores pélvicas de maior ou menor dimensão, conforme os casos. Estas dores são resultado da libertação de prostaglandina, uma substância que promove a contracção do útero de modo a que este proceda à eliminação do endométrio por via do sangramento menstrual, quando não se verifica uma gravidez.
Trata-se, assim, de certo modo, de uma reacção de “limpeza” do organismo que, mensalmente, através do processo de ovulação, se prepara para uma gestação.

Problema afecta mais de metade das mulheres

A dismenorreia atinge grande parte da população feminina em todo mundo – estima-se que entre 50 por cento a 75 por cento das mulheres já tenham sentido, pelo menos por alguma vez, cólicas menstruais. Em muitos casos, as dores menstruais são perfeitamente suportáveis, mas noutros são tão intensas que se tornam verdadeiramente incapacitantes para as mulheres afectadas, perturbando a sua vida profissional e pessoal.

Nestas situações mais complexas, urge que se tomem medidas concretas no sentido de amenizar o problema, trazendo um merecido alívio às mulheres sofredoras.
Uma boa solução nesse sentido é a pílula e esta é prescrita por muitos ginecologistas como forma de aliviar as dores menstruais.

Como é que a pílula alivia as cólicas menstruais

A intensidade das dores menstruais está directamente relacionada com o fluxo menstrual da mulher. Assim, quanto maior o sangramento, mais intensas serão as dores. Ora a pílula, por via do efeito das hormonas que a constituem, atrofia o endométrio, diminuindo o fluxo da menstruação, logo reduzindo as cólicas menstruais. Por outras palavras mais simplistas, a pílula evita a ovulação, logo evita as dores menstruais.

As pílulas de uso continuado, isto é, aquelas onde não se faz a paragem de sete dias para o surgimento da menstruação, são as mais utilizadas no combate às dores menstruais. É que, não se verificando o sangramento, as cólicas não surgirão.

Mas, de um modo geral, quase todos os contraceptivos hormonais ajudam a atenuar as cólicas menstruais. Contudo, trata-se de um método que não á aplicável a todas as mulheres. Assim, se está a pensar em utilizar esta solução para reduzir as suas dores menstruais, trate primeiro de se informar junto do seu ginecologista. Não é conveniente que enverede por este caminho de forma leviana, pois poderá estar a complicar seriamente a sua saúde.

Dra Rita Carvalho

Artigo revisto em 04-07-2013 por Dra Rita Carvalho, Ginecologista na Clínica da Saúde Feminina.

 

Qualquer imprecisão, incorreção ou adenda a esse artigo devem ser comunicados atráves dessa página.


Patrocínios

O que achou do artigo?